Audaces - Improve your design

Design de moda com foco em resultados para seu negócio

Ícone de Pesquisa

27/05/2013

Métodos para inovar e ser criativo na modelagem (parte I)

A visão da necessidade de sustentabilidade e consumo consciente desperta no mundo da moda outras formas de criação. Atendendo a essa nova necessidade, designers interpretam conceitos através do processo de modelagem e conseguem atingir resultados espetaculares em formas e processos inovadores.

A modelagem, uma das fases mais importantes do processo de produção de uma confecção, consiste na materialização da ideia do criador (estilista). O modelista atua no sentido de adequar o desenho estilizado às proporções das peças a serem fabricadas.

 

 

 

Princípio da planificação da forma utilizada no método/ Reprodução

 

Neste texto abordarei alguns aspectos que devem despertar curiosidade e desafio do leitor para a pesquisa e o aprofundamento dos diferentes métodos de construção de modelagens. Vale a pena experimentar!

Substraction Cutting:
Este método foi desenvolvido pelo designer Julian Roberts e tem como principal característica o fato da modelagem não representar a silhueta externa da roupa, mas sim os espaços dentro dela. O molde é apresentado como um espaço negativo, ou seja, espaço que será subtraído do tecido.

O Subtraction Cutting privilegia a intuição em detrimento de proporções padronizadas e, muitas vezes, usa o próprio corpo como unidade de medida. As formas e os volumes são criados a partir de um pedaço único de tecido dobrado, e o aprendizado decorre da tentativa e erro. O método se aplica a qualquer parte ou tipo de roupa, como chapéu, bolsa, vestidos, entre outros.

O Tunnel Technique (técnica do túnel) é um dos modos de construir esses tipos de moldes. Neste processo as peças são produzidas a partir de enormes retângulos de tecido e os “furos” resultam em moldes curriculares com a circunferência do quadril. Basta unir os furos de par em par e para se obter volumes.

 

 

 

 

 

Esta imagem a representação de um vestido, executado em um tecido tubular. A frente e as costas são posicionadas e junto a elas algumas formas circulares (com o mesmo diâmetro) são desenhadas e recortadas, com intuito de conseguir vários efeitos com volumes diferenciados. / Reprodução

Nos próximos posts abordaremos os métodos Zero Waste, baseado no desperdício zero; o Minimal Seam, técnica que objetiva reduzir o número de costura; e a Tesselação, que cria um padrão de imagens planas que encaixam e cobrem uma área sem deixar espaços ou sobreposições.

Por Andrea Zatta
Consultora e Coordenadora da Pós-Graduação de Moda e Gestão do Senai Londrina

 

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Você também pode gostar de ler:

31/12/2019

Gradação: exemplos de como a tecnologia pode ajudar nesse trabalho

Escrito por Audaces

26/12/2019

Enfestos: 3 tecnologias para obter alto desempenho e qualidade

Escrito por Audaces

24/12/2019

Como conseguir maior velocidade no corte de tecidos

Escrito por Audaces