Audaces - Improve your design

Design de moda com foco em resultados para seu negócio

realidade-aumentada-marcas-criam-moda-audaces

06/12/2018

Conheça marcas que criam moda com realidade aumentada

A tecnologia revolucionou a forma de criar e consumir moda com soluções que até pouco tempo atrás eram vistas apenas em filmes de ficção científica. Um exemplo dessa evolução é a realidade aumentada (RA), ou augmented reality (AR, na sigla em inglês). Basicamente, essa inovação é capaz de projetar imagens, gráficos e outros elementos virtuais no mundo real.

O conceito de realidade aumentada foi amplamente disseminado com o Pokémon Go, em 2016. O jogo, que causou frisson no seu lançamento, mostra personagens virtuais que parecem estar de fato no mesmo ambiente dos usuários. Mas essa tecnologia vai muito além do universo dos games. No mercado da moda, começam a surgir iniciativas baseadas nessa inteligência que visam melhorar a experiência do consumidor com as marcas.

Realidade aumentada e realidade virtual: saiba quais são as diferenças

Por serem tecnologias muitas vezes complementares, é muito comum as pessoas confundirem a realidade aumentada com a realidade virtual (RV). As duas misturam os mundos físico e digital e são acessadas a partir de algum tipo de intermediário, que pode ser um aplicativo ou um acessório. Dito isso, as semelhanças acabam por aí.

A realidade aumentada, como já mencionamos, inclui projeções de conteúdos e outras informações no mundo físico. Um exemplo aplicado ao setor de moda são os provadores virtuais. Esses espelhos digitais possibilitam que o cliente avalie se determinada peça se encaixa em seu corpo sem precisar experimentá-la.

Já a realidade virtual leva as pessoas para um novo ambiente criado por meio do computador. É possível, por exemplo, entrar em jogos, filmes ou locais turísticos de forma digital, sem precisar dar ao menos um passo. Essa conexão é feita usando um óculos especial, criado para interpretar esse tipo de tecnologia.

Confira exemplos de realidade aumentada aplicada ao mercado da moda

Seja no fast fashion, seja no mercado de alta-costura, as marcas têm aumentado o investimento em tecnologias disruptivas com o objetivo de atrair e fidelizar clientes. A francesa Givenchy é uma das que vêm apostando no potencial dessas inovações. A empresa contratou a escola de design PDF Haus, da Coreia do Sul, para projetar duas versões de óculos com base tanto na realidade aumentada quanto na virtual.

Os modelos-conceito foram fabricados obedecendo a uma concepção retrô-futurista e permitem trocar de uma tecnologia para outra apenas mexendo a lente. Utilizando o modo RA, o cliente pode assistir a desfiles ou ter acesso às últimas novidades da marca a qualquer hora e de qualquer lugar. Dessa forma, é possível ver de perto detalhes das roupas e acessórios e fazer os seus pedidos de produtos online. Já com o padrão realidade virtual ativado, é possível ter acesso ao mostruário da grife francesa, que é totalmente feito por computação gráfica.

Trazer a experiência de compra para dentro da casa do consumidor é um dos principais objetivos da realidade aumentada. Foi exatamente isso que fez a ODG (Osterhout Design Group), especializada em tecnologias vestíveis, em parceria com a Mastercard e a Qualcomm e com o suporte da Saks Fifth Avenue.

Juntas, as empresas desenvolveram uma espécie de shopping online em que o cliente pode ver as roupas que deseja em 3D, escolher o modelo favorito e fazer o pagamento – tudo em uma única plataforma.

A autenticação no site também é inovadora, realizada pela íris. Além de oferecer mais conforto a quem está comprando, esse formato ajuda os lojistas a manterem estoques menores, uma vez que as peças são visualizadas virtualmente, sem a necessidade de estarem prontas naquele momento.

Como o varejo tem se fortalecido com a adoção de tecnologias avançadas

O varejo de moda tem aproveitado como ninguém os benefícios trazidos pelo uso de tecnologias avançadas nos seus processos de venda. A Zara colocou à disposição de seus clientes em abril de 2018 uma coleção especial dentro da sua linha de moda, a Zara Studio, que permite a interação via dispositivos móveis.

O usuário precisa apenas baixar um aplicativo e apontar a câmera do celular ou tablet para o modelo desejado para analisá-lo mais de perto. Caso tenha interesse em comprar, o processo também é muito simples. Na própria tela, há um botão localizado na parte inferior chamado “compre o look”, em que o cliente pode clicar para adquirir a peça. Há também a opção de fazer a compra pela loja online.

Visando o aumento da procura por esse tipo de inovação, muitas empresas de tecnologia vêm desenvolvendo produtos voltados especificamente ao setor têxtil e de confecção. O software Virtual Style Sense (VSS), da americana Zugara, é um exemplo.

Com ele, os varejistas de moda têm mais controle sobre o estoque porque conseguem acompanhar as movimentações em tempo real. Além disso, podem monitorar pontos de venda, fazer análises de venda, entre outras funcionalidades. Os consumidores, por sua vez, conseguem alterar as cores das roupas digitalmente, optando pelo seu estilo preferido sem precisar sair do provador.

A realidade aumentada ainda é uma tecnologia em evolução, mas certamente terá uma presença cada vez mais forte no mundo da moda. E a sua empresa, está preparada para essa revolução? Conte com a equipe de especialistas da Audaces para ajudá-lo a modernizar a sua confecção.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Você também pode gostar de ler:

superproducao-automacao-ajuda-ampliar-lucros-eliminar-superproducao-audaces

11/12/2018

Veja como a automação ajuda a ampliar os seus lucros e a eliminar a superprodução

Escrito por Audaces

10/12/2018

Qual a importância da cronoanálise no processo produtivo de moda

Escrito por Audaces

realidade-aumentada-marcas-criam-moda-audaces

06/12/2018

Conheça marcas que criam moda com realidade aumentada

Escrito por Audaces