Webinar: Fatores que influenciam a produtividade no planejamento de risco e corte

Desde o momento em que a produção de uma nova peça é pensada, todos os departamentos da empresa devem ser envolvidos e integrados no processo. Essa é uma das sugestões dadas pelo consultor Roberto Piancó no webinar promovido pela Audaces com o tema “Fatores que influenciam a produtividade no planejamento de risco e corte”.

Durante o vídeo, Piancó, que é formado em Tecnologia Têxtil e em Administração de Empresas, tem no currículo 20 anos de experiência na Malwee e hoje atua como consultor de empresas, detalha os fatores que afetam a produtividade na sala de corte. Ele explica que o mesmo tipo de análise que ele fez na sala de corte pode ser aplicado em qualquer departamento da empresa, como na costura, no bordado e na estamparia, nos processos de beneficiamento e lavanderia etc.

Para que a adição de uma nova peça no mix de produtos tenha um resultado positivo na fase de produção, evitando “percalços” na fabricação em grande volume, todos os gerentes operacionais devem ser envolvidos, argumenta Piancó no webinar.

“Essas são decisões que impactam toda a empresa. Todas as funções fornecem entradas vitais para o processo de planejar. Cada função do negócio, normalmente, deverá planejar e controlar as capacidades de suas próprias micro-operações para atender a função da produção principal”, diz o consultor.

O especialista comenta que cada máquina e cada pessoa envolvida no processo tem habilidades diferentes e que o número de programações cresce na medida em que o número de atividades envolvendo esses recursos aumenta. Por causa disso, cada aumento no número de modelos que são produzidos pela empresa impacta em diferentes setores. Se o planejamento para isso não for bem feito e integrando várias áreas, Piancó afirma que os gargalos resultantes podem “mover-se pela fábrica” rapidamente.

“Qualquer mudança no mix pode afetar de modo muito sério a produção”, observa o especialista.

No webinar o consultor detalha cada fator que influencia a produtividade no planejamento de risco e corte: grade; tipo de modelagem; gasto médio de cada modelo; quantidade máxima de folhas; frequência máxima; comprimento da mesa e comprimento máximo permissível; tipos de riscos; método do enfesto; sequenciamento dos modelos; layout; e tecnologia.

Para conhecer mais sobre cada um destes fatores, confira o webinar com Roberto Piancó acessando este link.

 

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *