Qual a importância da cor para o consumidor?

Por Eduardo Vilas Bôas

Professor de Moda do Senac SP

 

Muito se fala sobre a importância das cores e suas harmonias na construção de um bom design, isto é, seja no logotipo, nos produtos ou na construção espacial de uma loja. Mas de fato, o quanto as cores realmente impactam o consumidor?

Quem já estudou um pouquinho de Teoria das Cores sabe que nada tem cor, as coisas refletem cores. Exatamente porque a cor é uma sensação produzida pelos raios luminosos nos órgãos visuais e que é interpretada pelo cérebro, gerando sensações. Por isso mesmo, querendo ou não, todo indivíduo é afetado pelas cores.

A percepção visual é uma das formas de percepção associada aos sentidos. É o produto final da visão consistindo na habilidade de detectar a luz (incluía-se aí a cor) e interpretá-la do ponto de vista estético e lógico. Esse processo está organizado em três fases:

  1. Instintiva, que envolve a percepção dos elementos primários de fácil identificação como cores, formas e texturas;
  2. A fase descritiva que envolve a percepção dos elementos complementares da imagem como a composição, leitura e pesos;
  3. Fase emotiva que envolve a interpretação e sensação da imagem com base em referências e experiências individuais.

Resumindo, esse processo que acontece em segundos, tem como ponto de partida a percepção das cores, ou seja, elas são os primeiros elementos que identificamos em qualquer espaço, produto ou composição.

Observe nesse compilado de informações a importância das cores para os consumidores.

  1.  84,7% dos consumidores acham que a cor é mais importante que muitos outros fatores ao escolher um produto;
  2. 80% das pessoas acreditam que as cores aumentam o reconhecimento de uma marca;
  3. 60% da aceitação ou rejeição de um produto passa pela cor;
  4. Entre 62% e 90% das avaliações sobre uma loja estão baseadas somente nas cores;
  5. Um estudo de 2003 conduzido por Joe Hallock em 22 países apontou as cores favoritas de homens e mulheres. Ambos preferem o azul (57% H e 35% M). Já 27% dos homens dizem que a cor menos interessante é o marrom, enquanto 33% das mulheres não gostam do laranja.
  6. Os homens são muito objetivos na relação e nomeação das cores, por isso, não se preocupe muito com tons de matizes: vermelho sempre é vermelho para eles, enquanto para elas vermelho pode ser coral, carmim, cereja, terracota, bordô etc.
  7. As cores podem depor contra uma marca e seus esforços de marketing. Existem cores chamadas de Classificadores (cores não vivas), que conferem aspecto sofisticado, caro, exclusivo e maduro à composição, e cores chamadas de Desclassificadoras (cores vivas), que conferem aspecto simples, infantil, barato e popular à composição.

 

Visto esses dados e conceitos, não há como questionar-se mais sobre a importância das cores para uma marca. As dúvidas, a partir de hoje, devem estar centradas na escolha das melhores cores, harmonias e seus efeitos psicológicos no consumidor.

Saiba mais:

Técnicas de pintura de desenho de moda
Estampas Pied de Poule e Pie de Coq
Tênis esportivos: profusão de cores

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *