Pré-custo da peça: processo de criação de moda e viabilidade econômica

A concorrência intensa no mercado de moda, tanto nacional quanto internacional, fez surgir uma exigência: antes de se produzir uma nova peça de roupa é preciso avaliar a viabilidade econômica do modelo. Nesse sentido, estimar o pré-custo da peça de vestuário antes mesmo da peça-piloto, verificar a compatibilidade produtiva e assegurar que a logística atenda às necessidades são algumas preocupações que podem garantir o sucesso de uma coleção. E como fazer isso?

Bem, para calcular o pré-custo da peça, por exemplo, é importante que a ficha técnica contenha todas as informações sobre a composição dos modelos, como tecido, aviamentos e demais materiais utilizados, entre outras orientações para o processo produtivo, que são essenciais para o planejamento e controle da produção

O cálculo do pré-custo da peça de vestuário pode evitar retrabalhos, diminuir custos e aumentar a produtividade numa confecção. Ao se ter um valor estimado de quanto custará a peça de roupa, o estilista ou o designer de moda pode adequar o modelo ainda durante a etapa de criação.

A confecção, por sua vez, pode até decidir não produzir em escala determinado modelo se souber antes da pilotagem que o custo total da peça excede um limite pré-estabelecido, a partir do qual as vendas perdem viabilidade. Dessa forma, evita-se o gasto de matéria-prima, de tempo e de mão-de-obra para testar uma peça que tem pouco potencial de ser de fato produzida. Já o profissional de criação não terá um esforço criativo em vão.

Você pode observar, a seguir, um exemplo de ficha técnica que contém as informações necessárias para a produção de determinada camisa polo de uma confecção.

 

Modelo de ficha técnica de confecção desenvolvido no Audaces Idea

 

O preenchimento correto da ficha técnica permite estipular o pré-custo da peça e, com isso, evita que o valor dos materiais e da mão de obra só sejam conhecidos depois que a peça piloto já foi modelada, cortada, costurada, aviamentada e finalizada. Para tanto, a ficha deve conter todos os materiais utilizados, como o preço por unidade (quilograma, metro etc.) e o valor de fato gasto no modelo, bem como outras orientações necessárias à produção. Veja um exemplo em seguida.

 

Detalhe de ficha técnica

 

Com esses dados em mãos é possível agilizar o processo de aprovação de uma peça, assim como decidir pela retirada da peça da coleção – evitando que modelos com alto valor continuem o processo de criação.

O cálculo do pré-custo da peça pode ser feito de modo manual, por meio de uma regra de três simples. Para tanto, deve-se ter o valor da matéria-prima por unidade de medida e a quantidade de fato utilizada na criação. Por exemplo, se o custo de 1 metro de determinado tecido é R$ 18 e se são usados 0,95 metros (95 centímetros), com a regra de três simples chega-se ao valor de R$ 17,10 realmente gasto na peça.

Como são vários materiais utilizados em somente um modelo, fazer esse tipo de cálculo de modo manual levaria bastante tempo, não é mesmo? Hoje em dia é possível realizar essa conta de modo automatizado. O sistema Audaces Idea permite obter o pré-custo da peça e, assim, possibilita que sejam feitos ajustes em tempo real durante a etapa de criação. O sistema auxilia no processo de aprovação da peça, visto que, se o modelo desenvolvido ultrapassar o target proposto, é possível alterar os materiais e o modelo facilmente para a peça ficar dentro do orçamento.

Vale lembrar que, para se chegar ao custo total de produção de uma peça e ao preço de venda final, além dos custos diretos (matéria-prima, mão de obra etc.), deve-se considerar os custos indiretos de produção, como despesas com aluguel e administração, por exemplo, que existem independentemente da fábrica produzir ou não.

Leia mais:
Importância da peça-piloto na confecção de roupas
Função da peça-piloto para a modelagem

Planejando a coleção: tendências, criação, desenvolvimento e vendas

 

Uma resposta para “Pré-custo da peça: processo de criação de moda e viabilidade econômica”

  1. Elias Armando disse:

    Olá! Gostei, aprendi muita coisa a partir dessa página!

Deixe uma resposta para Elias Armando Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *