Os desafios da modelagem plana

Por Francys Peruzzi Saleh
Professora do Curso Técnico em Vestuário no Instituo Federal Sul-Rio-Grandense

A modelagem por adaptação de moldes básicos remonta à metade do século XIX. Conforme o artesanato se desenvolveu, as regras básicas evoluíram, mas regras podem ser quebradas ou alteradas se vindas de novas direções criativas.

Esse conceito de design tem sido o responsável pelas alterações mais interessantes na forma e nos cortes durante o último século.

Poiret, Vionnet e Chanel, sensíveis às influências sociais e estéticas, “promoveram o corpo” depois de ter sido escondido em estruturas por um século.

Desafios da modelagem plana

Embora suas interpretações tenham sido diferentes, eles foram os inovadores nas roupas leves e folgadas. Atualmente, as diferentes atitudes sociais de muitas mulheres alteraram sua relação com a moda; elas compram roupas que as deixam felizes e não estão dispostas a ficar restritas a uma linha imposta por uma estação ou por uma imagem antiquada de feminilidade.

Unir design do produto e moda é um processo complexo. Ele pode, facilmente, ficar sobrecarregado por efeitos exagerados. São muitos os estilistas que produzem imagens alternativas para a moda tradicional por meio de escolhas ecléticas. O papel desses estilistas torna-se cada vez mais importante devido ao poder que têm para iniciar ou influenciar as principais tendências.

Desenhar alta-costura ou pequenas coleções independentes é muito diferente de desenhar para um mercado de massa. As peças criadas para uma pessoa permitem maior liberdade ao designer. O fator de custo se torna menos importante, o que permite que a ideia original seja realizada. Tecidos interessantes que são difíceis de trabalhar podem ser utilizados e as suas características de superfície podem ser enfatizadas pela ornamentação.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *