Graduação: a diferença entre a graduação adulta e a infantil

Por Paula Guimarães
Modelista e Professora do SENAI Londrina

Dando continuidade ao assunto das diferenças de se modelar peças para adulto e para crianças, faz-se importante salientar o que deve ser observado quanto a graduação de tamanhos infantil, pois existem diferenças cruciais entre esses dois públicos que devem ser consideradas para garantir o sucesso da produção das peças.

A princípio, as medidas horizontais não variam muito, seguindo da mesma forma que acontece na modelagem do adulto. Porém no que diz respeito às medidas verticais ou no comprimento, quando se trabalha com graduação de tamanhos infantil é preciso verificar que em razão da criança estar em constante desenvolvimento e crescimento, há uma variação grande de medidas e para graduar neste sentido geralmente é necessário que seja feita a graduação com ruptura, onde não se aplica apenas uma medida de alteração no comprimento, como acontece com o adulto que normalmente tem a variação de 2 ou 3 centímetros para todos os tamanhos.

Veja a seguir um exemplo de graduação de calça legging infantil, onde a variação do comprimento do tamanho 2 até o tamanho 8 é de 4 cm e para os tamanhos 10 e 12 a variação é de 3 cm.

 

Observe também esta manga longa de uma peça infantil, onde a graduação também tem ruptura.

É preciso seguir uma tabela de medidas para fazer a graduação de tamanhos infantil em qualquer peça e cada empresa possui uma tabela específica. O exemplo citado não é de uma tabela padronizada, mas de uma tabela adotada por uma marca consolidada no mercado do vestuário infantil.

Leia mais:

Graduação de modelagem usando a tabela de medidas

Graduação de moldes em sistema informatizado

 

 

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *