Fast Fashion: velocidade é o ponto de partida

O conceito de fast fashion está pautado na agilidade das empresas em produzir e entregar ao mercado produtos inovadores e com valor de moda em menos tempo. Porém toda nova forma de trabalho ou estratégia vem acompanhada de vantagens e desvantagens. 

Veja algumas vantagens e desvantagens do fast fashion.  
Vantagens:

•    Variedade: O cliente encontra um novo produto a cada semana, algumas lojas conseguem até mesmo trabalhar com reposições diárias.
•    Personalização: O cliente participa do design da peça, dessa forma encontra produtos personalizados de acordo com as suas necessidades.
•    Estoque baixo: O estoque é baixo, na medida certa, para não gerar custos altos para a empresa. A regra é vender a maior quantidade possível dos produtos expostos na loja e aqueles produtos que não tiveram saída entram rapidamente em liquidação.
•    Resposta às mudanças: O fast fashion responde mais rápido às mudanças de mercado e tendências de moda do que as coleções normais, pois seu ciclo de produção é mais enxuto.

Desvantagem:
•    Grade baixa: Como o foco não está na quantidade de produtos, mas sim variedade, não será possível suprir as necessidades de todos os clientes. Assim, o lojista pode receber os tamanhos P e M, e não conseguir atender o cliente GG, por exemplo. 
•    Fornecedor: Como os pequenos negócios trabalham com lote baixo, pode ser difícil encontrar uma cadeia flexível de fornecedores.
•    Ponto de atenção: O preço acessível não é uma regra do modelo, o que caracteriza o fast fashion é a participação do consumidor e não o preço final da peça, ou seja, é o público quem define quanto o produto vai custar, bem como todos os outros requisitos do design da peça. 
•    Questões legais: Pelo fato de estar ligado a fortes tendências de moda, muitas vezes, o fast fashion acaba reproduzindo peças parecidas com as de grife. É preciso estar atento a problemas legais, de registro de produtos, marcas e modelos.
•    Ponto de atenção: Críticos ao modelo fast fashion afirmam que as tendências são colocadas em primeiro lugar e que, portanto, o estilista acaba perdendo a liberdade para criar. Algumas marcas que praticam o fast fashion alegam apenas buscar inspiração em grifes de renome e que esse é um processo que resulta na convergência a respeito das pesquisas de tendências. Como no caso da Zara, que buscou inspiração em marcas como Prada e Gucci. 

Referências:
 http://www.sebrae2014.com.br/Sebrae/sebrae%202014/Estudos%20e%20Pesquisas/2014_08_22_RT_Julho_Varejo_FastFashion_pdf.pdf

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *