Entrevista – Thais Beloso

A primeira entrevista de agosto do Clube News é com a colunista do blog “Falando de Desenvolvimento”, do Portal Audaces, Thais Beloso. Ela é graduada em Moda pela Unisal e pós-graduada em Administração de Empresas pela FGV. Thais também é modelista freelancer e coordenadora de desenvolvimento de produto em uma confecção. 

Na entrevista, a seguir, a colunista fala sobre modelagem freenlacer, moda pet, organização de eventos de moda, gestão de negócio, entre outros assuntos. Acompanhe.

Clube News – Na hora da contratação de um serviço de modelagem freelancer, o que você considera ser importante o (a) proprietário (a) da confecção requisitar? E da parte do profissional, o que deve levar em conta no momento de aceitar o trabalho?

Thais Beloso – No ramo de modelagem, como freelancer, a primeira coisa que o profissional precisa desenvolver é um portfólio, que será o seu cartão de visita na hora de ser contratado. Para quem está contratando, aconselho solicitar amostras do trabalho do modelista, o portfólio, e observar o capricho, a precisão e a especialidade do profissional. É possível solicitar ainda um trabalho para verificar se a empresa se adéqua ao estilo de trabalho do profissional, se as datas são cumpridas, se o serviço prometido é desenvolvido corretamente, ou seja, fazer um teste inicial. Para o contratado, aconselho não aceitar trabalhos complexos que fujam da sua especialidade, correndo o risco de não atender as expectativas do cliente. É importante também conhecer bem a sua agenda, para não se comprometer com prazos impossíveis. Outra dica importante é receber parte do valor do serviço antecipado e o restante no dia da entrega dos moldes, pois isso é mais seguro para ambas as partes.

CN – Você tem experiência na moda pet. Como avalia esse segmento atualmente no Brasil e as possibilidades para o futuro?

Thais Beloso – A moda pet no Brasil vem mudando devido às alterações no comportamento dos consumidores. Cada vez mais pessoas adotam bichinhos de estimação para ficarem dentro de casa, o que significa que são animais de pequeno porte, favorecendo o mercado de moda pet, pois normalmente cães de grande porte possuem uma camada espessa de pelos e gordura, dispensando o uso de roupas ou cobertores durante o inverno, ao contrário dos de pequeno e médio porte, como o Pinscher e Fox Paulistinha (Terrier Brasileiro), que precisam ser aquecidos durante o inverno para não adoecerem. Além disso, as mudanças na maneira em que os donos se relacionam com seus pets também ajudam no ramo da moda. Esse contato mais próximo e afetivo que observamos cada vez mais entre ambos traz a “humanização do pet” e com isso uma maior aceitação do uso de roupas e acessórios. Porém, esse mercado também possui aspectos negativos, como a questão do clima no Brasil. Nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste sabemos que as temperaturas são muito altas durante quase todo o ano, dispensando o uso de roupas nos animais. Já nas regiões Sul e Sudeste temos apenas um período relativamente curto de frio, o que traz uma sazonalidade para a moda pet, tendo um maior índice de vendas nos meses de maio, junho e julho.  Devido a essas restrições (as regiões de atuação e a sazonalidade), empresas que desenvolvem apenas moda pet necessitam buscar mercados externos para garantir uma produção anual ou encontrar outros produtos para complementar as suas vendas. Dessa forma, atuar nessa área exige muito planejamento.

CN – Você já foi proprietária de microempresa. Com base em sua experiência, que dicas daria para alguém que quer manter um negócio competitivo nos dias atuais? Que competências são primordiais?

Thais Beloso – Não acredito em receitas para o sucesso de uma empresa, para mim o que existe é bom senso, criatividade, coragem e muito trabalho! Toda empresa deve estar atenta às mudanças do mercado, à abertura de novos concorrentes ou possíveis parceiros e deve se adequar constantemente a isso. Essa adequação deve ser bem planejada, usando a criatividade, mas sem perder o foco. Outra questão importantíssima é saber separar o lucro do capital de giro (dinheiro de reinvestimento na empresa). Muitas empresas não conseguem calcular corretamente a lucratividade de seus produtos e acabam por utilizar o dinheiro do caixa da empresa com contas pessoais e, ao longo do tempo, esta ação começa a refletir na falta de dinheiro para reinvestir na produtividade, levando a empresa a realizar empréstimos, adquirindo dívidas cada vez maiores. Por isso é tão importante a administração da contabilidade e a gestão financeira dos bens da empresa.

CN – Fazer eventos de moda, como desfiles ou exposição, demanda uma série de conhecimentos e habilidades. Que orientações você passaria para quem quer promover um evento de moda? Poderia relatar uma experiência sua?

Thais Beloso – Para a criação de evento é primordial realizar um excelente planejamento antes de qualquer coisa, pois é ele que norteará toda a construção do evento. Nesse planejamento é necessário constar local, data, hora de todos os acontecimentos, pessoas a serem convidadas, meios de divulgação que serão utilizados, pesquisa de parceiros e patrocínios, equipe técnica que estará envolvida no projeto, responsabilidades de cada um, serviços que serão contratados, materiais e equipamentos necessários para o evento, entre outros itens. Como se pode observar, são inúmeros os detalhes que devem ser levados em conta e planejados minuciosamente tempos antes de se dar início à produção do evento. Todo esse planejamento reduz o tempo investido, os erros e os imprevistos, auxilia a equipe numa tomada de decisão rápida, traz segurança para os envolvidos, facilita a apresentação do evento para possíveis patrocinadores, além de transmitir credibilidade, aumentando a chance de efetivar a parceria.

Uma experiência marcante para mim foi o desenvolvimento e a participação da 1ª Exposição de Moda do CTVP (Centro de Treinamento e Valorização Profissional). O CTVP, localizado em Nova Odessa/SP, oferece em parceria com o Senai cursos profissionalizantes gratuitos para a população da cidade. Como tive a oportunidade de estudar Corte e Costura sob Medida e auxiliar minha professora Maria Cortez em um curso de Modelagem Industrial, pude conhecer de perto várias alunas e o trabalho que elas realizaram. A partir disso, surgiu a ideia de fazer uma exposição com os trabalhos desenvolvidos pelas alunas e divulgar a importância dos cursos oferecidos pela instituição. Dessa forma, foi necessário desenvolver o projeto iniciando pela organização das alunas, verificando quais trabalhos seriam realizados e como seriam apresentados. Feito isto, apresentei o projeto para a diretoria da escola e para representantes da prefeitura municipal, a fim de conseguir o apoio de todos. Ao aprovarem o evento, demos início a segunda parte do projeto. Determinamos data, hora, local, meios de divulgação, convidados especiais e finalizamos o formato do evento. A terceira etapa foi construção dos looks que seriam apresentados pelas alunas do curso de Modelagem e Costura, os desenhos de moda das alunas do curso de Desenho e a minha palestra e desfile com o tema “10 décadas, 10 looks”. Por fim, tivemos um dia todo para montar a decoração, instalar os equipamentos, realizar testes, de som e iluminação, e ensaiar com as modelos o percurso do desfile. Tudo para, no dia marcado, estarmos prontos para recepcionar os convidados e realizar um excelente evento.

CN – Você participou do 1º Fashion Lab Audaces. O que destaca do evento?

Thais Beloso – Foi um evento maravilhoso, cheio de informações novas e inspiradoras, além de conhecer toda a estrutura de trabalho da Audaces e o comprometimento da mesma com seus clientes e parceiros. O que mais se destacou foi a palestra do Samuel Schmidt, que apresentou o seu projeto Cidades Invisíveis. Fiquei impressionada com o seu trabalho e determinação em buscar uma solução para os problemas sociais encontrados, não apenas em Florianópolis, mas sim em todas as cidades brasileiras, e tudo por meio de um trabalho voluntário. Foi incrível a maneira que ele encontrou de mostrar a verdade das periferias por meio de imagens e transformá-las em estampas, que diga-se de passagem, super fashion! A releitura dessas imagens pelo olhar de estilistas ou de designers as transformam em estampas descoladas ou de forte impacto.

CN – Gostaria de acrescentar algo mais ou tratar de algum tema não questionado?

Thais Beloso – Como dica complementar, aconselho as pessoas que trabalham em casa, como o modelista freelancer, que tenha um espaço apropriado para desenvolver seus trabalhos, sem distrações e interrupções. É preciso criar um ambiente de trabalho agradável para não se perder o foco e ter um bom desempenho. Outro item importante é determinar horários. Não trabalhe de menos nem de mais, se organize neste aspecto como se estivesse em uma empresa, tenha horários fixos (entrada, almoço e saída), respeite esses horários, programe suas atividades e acompanhe os prazos de entregas. E não se esqueça da dica anterior, separe o lucro do capital de giro, assim você conseguirá determinar o valor do seu trabalho, seu lucro por tempo de trabalho e manter ou até mesmo melhorar a empresa sempre!

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *