!DOCTYPE html> insert_pixel_code_here

Os desafios da profissão de modelista perante a variedade de tecidos

Por Vania Alves

O modelista é o profissional que traduz para o papel ou para o sistema CAD os conceitos e as criações do estilista, ou seja, a execução prática das ideias do estilista. Sendo assim, é ele o responsável pela elaboração do molde que servirá de base para a produção do primeiro protótipo para determinado modelo e tecido. Com a aprovação desta base de molde experimental, é possível dar sequência à fabricação em grande escala para a produção.

Na divisão de tarefas, o trabalho do modelista é essencial. Ele deve ser visionário, prevendo o destino da peça concebida pelo estilista, verificando também os melhores caimentos e acabamentos para o modelo a ser concebido.

Atualmente, grande parte da modelagem é desenvolvida e processada virtualmente, embora algumas nuances ainda requeiram a intervenção manual. Sendo assim, o modelista atua em duas esferas: na modelagem plana bidimensional e na modelagem tridimensional ou moulage.

Com a evolução da tecnologia, a profissão do modelista vem passando por grandes desafios diante da grande quantidade de variáveis de tecidos planos desenvolvidos pela indústria têxtil. Isso requer dos profissionais de modelagem grande conhecimento do assunto, além de várias adaptações e intervenções no molde-base para tecido plano.

Gera também uma modelagem cabível de acordo com o tipo de tecido plano que será transformado em produto do vestuário, pois cada tecido reage de uma forma de acordo com os beneficiamentos e acabamentos designados pelo setor de criação e desenvolvimento. Quanto maiores as variáveis de tecidos planos desenvolvidos pela indústria têxtil, maior será a adaptação da base de modelagem para a vestibilidade de cada propósito de desenvolvimento de produto de vestuário.

Nos dias atuais, uma base apenas de molde para tecido plano não convém mais para se trabalhar com tantas variedades de tecidos planos existentes no mercado. Do mesmo modo acontece quando se refere aos tecidos de malharia, porque eles também requerem uma adaptação na base de molde de malharia para as grandes variedades de tecidos de malharia existentes comércio.

Verifica-se que, assim, o profissional de modelagem passa por tais desafios no dia a dia de sua profissão, sendo necessário buscar conhecimentos constantes para se atualizar no mercado de trabalho deste ofício de grande responsabilidade no mundo da moda, pois o modelista é o responsável pela engenharia da modelagem.

7 respostas para “Os desafios da profissão de modelista perante a variedade de tecidos”

  1. Clarice disse:

    Nosso dia a dia profissional da área é como engenheiro em obras, cheio de percalço, desafios constantes dentro da leitura de modelos.

  2. BERNARDETE FERREIRA WALTER disse:

    SOU MODELISTA TERCERIZADO. TRABALHO COM SISTEMA AUDACES.

  3. Cida Oliveira disse:

    Sou modelista há 15 anos e trabalho com a Audaces há 6 anos. Realmente temos que buscar coisas novas o tempo todo, as mudanças são muitas e a Audaces me ajuda muito. Acompanho todas as postagens são extremamente úteis. Muito obrigada!

  4. Marilucia Costa Nunes disse:

    Olá Sou modelista À mais de dez anos e a 5 conheci o audaces parabéns a este programa que nos ajuda e muito…

Deixe uma resposta para Cida Oliveira Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *