Comportamento e pesquisa de moda

Por Juliana Zanettini

Consultora de tendências e consumo, professora universitária

 

Na moda, a pesquisa de tendências é a etapa inicial no processo de desenvolvimento de produtos. Para o planejamento de uma coleção, por exemplo, antever padrões de silhuetas, cores, estampas e materiais é uma necessidade para o sucesso de uma coleção. Em outras palavras, antever o que irá acontecer significa planejar, controlar e modificar possíveis imprevistos ao longo do projeto.

Mas você sabe como fazer pesquisa de moda buscando tendências do setor?

Tradicionalmente, a pesquisa de moda na indústria do vestuário e da confecção têm início por meio do levantamento de informações em vetores tais como feiras de matérias primas e produto pronto, seguindo depois para os desfiles que apresentam novas coleções e, finalmente, para a análise de vitrines. Todavia, de uns anos para cá, a forma de fazer esta pesquisa vem mudando.

Compreender o comportamento de consumo através da observação de influenciadores pode ser considerado como ponto de partida para o entendimento das tendências na atualidade. Desse modo, as redes sociais se converteram em celeiros para as primeiras manifestações de insights. Compreender o comportamento de influencers digitais, por exemplo, pode ser mais assertivo que analisar desfiles ou visitar feiras.

Para o antropólogo canadense Grant McCracken, a cultura imaterial influencia a cultura material, sendo os fenômenos comportamentais os responsáveis pelos primeiros sinais do que futuramente irá virar um produto.

Logo, para a materialização das tendências percebidas em uma pesquisa de moda, deve-se estar atento ao que acontece nas instâncias que envolvem a cultura. Observe as novidades que estão impactando as artes, o cenário musical, a gastronomia, a tecnologia. É dessa forma que o comportamento humano serve como forma de investigação para a moda.

 

Para se aprofundar:

MCCRACKEN, Grant. Cultura e consumo: novas abordagens ao caráter simbólico dos bens e das atividades de consumo. Rio de Janeiro: Mauad, 2003.
MCCRACKEN, Grant. Chief Culture Officer: como a cultura pode determinar o sucesso ou o fracasso de uma organização. São Paulo: Aleph, 2011.

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *