Analisar estilos de vida ajuda a definir grupos de consumidores

Por Juliana Zanettini
Consultora de tendências e consumo, e professora universitária

 

No texto Gostos de Classe e Estilos de Vida, Pierre Bourdieu lança um olhar acerca da estratificação social por meio de hábitos e gostos de grupos de indivíduos. Para o sociólogo, a classificação dos grupos sociais a partir do conceito de estilos de vida gera dúvidas quanto às práticas tradicionais de segmentação de mercado, pautadas em critérios como  renda, sexo, idade ou raça. Conforme o pensamento de Bourdieu, essas bases originadas no Marketing não são, por si só, determinantes para se definir e classificar grupos de consumidores.

 

Em outras palavras, por meio de imposições inconscientes é possível identificar padrões de estilos de vida a partir de predileções e hábitos do cotidiano que, consequentemente, segmentam mercados. Analisar as formas pelas quais as pessoas experimentam o mundo e fazem escolhas no geral são suporte para a identificação dos grupos de consumidores.

 

Sendo assim, é possível segmentar públicos-alvo a partir de uma observação individual e coletiva por meio de pequenos grupos de indivíduos. Esta atividade de observação, proveniente da Antropologia Social, por exemplo, torna-se importante uma vez que o indivíduo na atualidade é demasiadamente heterogêneo. A partir de uma análise comportamental, marcas conquistam de forma mais assertiva seus públicos-alvo.

 

E você, quais pesquisas você tem realizado para melhor definir o seu grupo de consumidores? Escreva nos comentários abaixo e venha participar da conversa! Até a próxima.

 

Saiba mais:

WEB 2.0 e as estratégias de marketing das confecções

CRM na indústria da moda: o que é e como se aplica

Formação de preço de venda, markup e margem bruta

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *