Audaces - Improve your design

Design de moda com foco em resultados para seu negócio

Ícone de Pesquisa

13/05/2016

5 fortes motivos para buscar inspiração na arte peruana

Por Lucía Andrea

Designer e empresaria de moda

   

Na América do Sul muitas culturas, civilizações e povos viveram, se desenvolveram e se transformaram. No Peru, os chamados pré-Incas e Incas produziram evidências artísticas fantásticas. O material que sobreviveu à colonização e à passagem do tempo oferece uma infinidade de histórias, lendas e referencias visuais. Transporta o observador a épocas distantes e lhe faz aflorar uma criatividade quase mística. Veja 5 motivos pelos quais a arte peruana é uma excelente fonte de inspiração para os artistas e designers.

 

1. A natureza

A chave para entender a arte peruana, principalmente a dos antigos povos, passa pela adoração da natureza. Para aquelas pessoas, homem e natureza andavam sempre juntos. Por este motivo, dedicaram todos seus esforços a estudar e entender os ciclos do planeta.

 

Isso logicamente refletiu em sua cultura material, que foi pensada justamente para estar em equilíbrio com a Terra e com os ciclos naturais. Basta olhar as construções como Machu Picchu e Pisac, ambas em Cusco, no Peru. Estas cidadelas de pedras estão dispostas em perfeita harmonia com as montanhas que as contêm e com as montanhas que as rodeiam. Não agridem a paisagem, ao contrário, parecem embelezá-la.

 

Em tempos de tamanha discussão sobre a conservação do meio ambiente, certamente vale a pena conhecer mais sobre a arte peruana. Um povo cuja principal preocupação era a natureza. E por que não, deliciar-se com suas belíssimas criações inspiradas em animais, plantas e fenômenos naturais.

 

Fonte: thewallpapers.org

 

2. Estilização

Os antigos peruanos não se preocupavam em representar a natureza tal como ela é. Ao contrário, desenvolveram avançados sistemas de estilização e simplificação formais. O resultado disto são padrões visuais muito expressivos, que servem muito bem para inspirar trabalhos de estamparia, design gráfico e design de superfície em geral.

 

Estilização de um animal, cultura Moche. Fonte: bifea.revues.org

 

3. Proporção

Observa-se um delicado trabalho de proporção na arte peruana dos povos antigos. A relação entre os diferentes elementos de um objeto não era feita ao acaso. Encontram-se características semelhantes à arte ocidental, como é o exemplo da proporção áurea.

 

No entanto, há também relações de proporção um pouco diferentes às ocidentais, desafiando até o olhar mais treinado dos dias de hoje. E sair da zona de conforto, mesmo sendo ela visual, certamente favorece a criatividade de quem se dá o trabalho de conhecer um pouco mais sobre a arte peruana e os antepassados de lá.

 

Cidade de barro de Chan Chan, em Trujillo, Peru. Fonte: culturasincasysusconceptos.blogspot.com

 

4. Muito além da tabela Pantone

As combinações de cores, observadas sobretudo nos têxteis antigos, são absolutamente desafiadoras. São tecidos com personalidade, reunindo uma gama de cores fortíssima e expressiva. E vale lembrar que todos os corantes eram de origem natural, extraídos de plantas, raízes e insetos. Sem dúvida, a arte peruana é uma enxurrada de inspiração.

 

Pentes para tear. Fonte: Acervo pessoal

 

5. As técnicas

Os antigos povos peruanos dedicaram muito tempo em desenvolver suas técnicas de produção artística. Na joalheria e metalúrgica, criaram ligas metálicas e diversos métodos de ourivesaria. Na cerâmica, aperfeiçoaram o cozimento, a pintura e criaram até moldes e técnicas de produção em série.

 

Na arquitetura, talharam e encaixaram pedras com perfeição, criando estruturas funcionais e antissísmicas. E na tecelagem – sua expressão artística mais forte – desenvolveram a fiação, o tingimento e uma infinidade de formas e motivos que, se olhados com atenção, contam historias de um povo antigo, mas de uma estética muito atual.

 

Cerâmica da cultura Moche. Fonte: Acervo pessoal

 

Na hora de criar uma coleção, lembre-se da arte peruana. Você encontrará inúmeros atalhos mentais e sensoriais para alcançar inspirações ricas e com muito estilo.

Bibliografia: DURAND, Jesus Ruiz. Introducción a la iconografía andina 1. Lima: IDESI / BID, 2004

 

Leia também:

Trajetória de Jum Nakao na moda

A arte inspira a moda, ou é a moda que inspira a arte?

A moda brasileira: herança de uma mistura bem-feita

Deixe um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


Você também pode gostar de ler:

20/08/2019

Ganhe eficiência na modelagem de roupa com o Audaces 360

Escrito por Audaces

sala-de-corte-4.0

13/08/2019

Sala de corte 4.0: planeje e controle a sua produção com mais assertividade

Escrito por Audaces

08/08/2019

Conheça as previsões para a indústria da moda até 2025

Escrito por Audaces